Louis Jacques Mande Daguerre


<

>

Louis Jacques Mandé Daguerre

Louis Daguerre

Louis Jacques Mandé Daguerre nasceu no dia 18 de novembro de 1787 em Cormeilles-en-Parisi, Val-d’Oise, França. (Faleceu em 10 de julho de 1851 em Bry-sur-Marbe, França).

Começou a trabalhar como aprendiz de arquiteto e à idade de dezesseis anos já estava como desenhista auxiliar num teatro de Paris.

Talentoso pintor de paisagens e desenhista de cenários para peças de teatro, Daguerre iniciou seus experimentos com a fotografia a partir de “Diorama”, elogiado espetáculo de 1822 que mesclava vistas panorâmicas e efeitos de luzes, começou a pesquisar com o fim de melhorar o mundo da imagem.

O desenhista utilizava artifícios com a “câmera escura” para obter quadros inovadores, e se questionou se não seria possível fixar as imagens geradas por ela.

A sociedade era curta, Niépce morreu em 1833 e Daguerre continuou pesquisando. Mais tarde fez uma descoberta importante por acidente, tendo sido o primeiro a conseguir uma imagem fixa pela ação direta da luz.

Em 1835, ele apanhou uma chapa de prata revestida de iodeto de prata, que apesar de exposta não havia sido sensibilizada, e a guardou em um armário. No dia seguinte se impressionou ao ver que uma imagem havia sido revelada. Criou-se uma lenda em torno da origem do agente revelador, o vapor de mercúrio: há quem a atribua a um termômetro quebrado, mas é provável que Daguerre tenha recorrido a um sistema de eliminação de elementos em seus experimentos. Ainda que daguerre já sabia produzir uma imagem, não foi até 1837 que se pôde fixá-las.

1787 – 1851 Fotografia de Louis Jacques Mandé Daguerre

Em 1837, ele já havia padronizado esse processo usando chapas de cobre sensibilizadas com prata e tratadas com vapores de iodo para que a imagem latente fosse revelada, expondo-a à ação do mercúrio aquecido. Para fixar a imagem, Daguerre utilizava uma solução de sal de cozinha aquecida.

Os primeiros daguerrotipos tinham grandes problemas, produziam imagens invertidas e de pouco contraste tonal e o longo tempo de exposição variava de 15 a 30 minutos. Daguerre corrigiu alguns dos problemas usando brometo de prata como acelerador para que as chapas se tornassem mais sensíveis, e corrigindo a posição da imagem. Este novo processo o denominou Daguerreótipo “Daguerreotype”.


Daguerreótipo

Daguerreótipo

Em 7 de janeiro de 1839 informou da descoberta, mas os detalhes não foram divulgados até 19 de agosto quando o processo foi anunciado em público, o governo francês comprou por 6 mil francos os direitos do processo, cedendo-os livremente ao resto do mundo.

Em 1839 o aparelho já era vendido em sete países da Europa e nos Estados Unidos.

Daguerre morreu em Bry-sôbre-o-Marne, em 1851.

Nesse mesmo ano se inventou uma nova técnica, o
processo molhado do colódion
, por Frederick
Scott Archer
.

Hospedagem de sites com domínio Grátis, Revenda de Hospedagem com recursos ilimitados